Minha febre já tem 5 anos.

2.9.15

Oi pessoal! Se alguém aqui me acompanha no twitter ou no face percebeu que eu postei algumas (muitas, principalmente no tt) coisas sobre o Justin Bieber. Na semana passada, antes de descobrir que o Justin voltaria aos palcos, apresentações, estúdio e toda a rotina louca dele de antes, eu voltei a escutar algumas músicas que a muito tempo não ouvia (não que eu tivesse deixado de escutar JB), na verdade semana passada eu tava numa vibe muito nostálgica. 


Há 5 anos atrás, em 2010, quando eu tava descobrindo os blogs e era apenas leitora, não escrevia em nenhum blog, apenas tinha os meus falecidos orkut e msn. Vi no subnick do msn de várias meninas que eu conhecia o nome de um garoto com um coração do lado. Esse nome era... adivinhem? "Justin Bieber <3" e eu que sou pouco curiosa, fui procurar saber quem era esse tal garoto sensação do meu msn. Alguém me explica pra quê eu fui fazer isso? =O Foi a partir daí que tudo começou.


A primeira música que eu escutei foi One Time e pronto foi mais do suficiente pra me apaixonar por um menino, magrelo, baixinho, loiro com aquele cabelo de lado (ai ai!), voz fina e cara de neném. A partir daí não parei mais de ouvir as músicas e lá se veio Baby, One Less Lonely Girl e mais quinhentas mil músicas pra fazer parte da minha história e me ajudarem a contar a minha vida. 


Ele está lá através de suas músicas nos momentos felizes e tristes durante todos esses meus últimos 5 anos. Por ele eu briguei, eu chorei, eu sorri, eu gastei dinheiro, eu tirei nota baixa, eita, mas tem é coisa que aconteceu por causa do Justin na minha vida. Criei um fã clube no tumblr. Era só Justin Bieber e Eduardo Surita (qualquer dia conto sobre isso) na minha vida. Me encontrei musicalmente e vi que o meu mundo era o pop. 


Tudo lindo, maravilhoso. Justin veio pro Brasil em 2011, eu quase morri do coração na hora de comprar o ingresso, no dia do show, antes de começar e depois de acabar o show também. - Deu pra perceber que eu já quase morri muitas vezes por esse menino né? Ainda bem que eu não tenho problema de coração. Ele foi embora, eu chorei também. Meu Deus! Eu sou muito chorona. 


Muita coisa acontece. Justin faz 18 anos. Believe é lançado e com ele vem mais uma turnê mundial. A última que o Justin fez por sinal. Depois disso, começaram algumas tretas básicas e eu firme e forte defendendo ele e brigando com o mundo. Em 2013, vem a fase depressiva e junto dela, Journals. Justin continuou fazendo os shows, mas era nítido no seu trabalho que ele não estava bem. Até que ele começou a fazer um monte de besteira (que apesar de fã nunca apoiei esse comportamento) e depois o menino sumiu da mídia. Esse post tá enorme!


Cortando rapidamente pra 2015.. eu tava super como, ninguém me ouvia falar de Justin Bieber. Afinal, eu não tinha o que falar, já que nesse período meu fc foi por água abaixo, eu passei a escrever no blog e a ocupar minha mente com outras coisas, mas apesar de não falar dele o bendito menino não saia do meu celular. 


Até que chegamos, no ínicio desse post. Eu voltei a escutar as músicas do Justin (não só as minhas top 10) numa semana nostálgica e tudo voltou. Na vespera do lançamento de WDYM eu só falava disso. Sem saber que teria VMA e foi aí que eu me dei conta de que realmente a Bieber Fever é algo sem cura, quando ela realmente pega, o negócio fica sério. Mas, é uma doencinha que eu não me arrependo de ter pego, sou feliz sendo belieber e se esse é o meu carma é o melhor que eu poderia ter. Simplesmente porque Justin Bieber é como eu, oito ou oitenta, me irrita e me acalma, me faz sorrir e chorar. E por mais que não saiba que eu exista estava mais presente em todos os meus momentos, mais até do que muita gente que convive comigo. 



*todos os gifs e fotos do post eu peguei no tumblr                   

Você pode gostar também

0 comentários