Filme vs livro: 50 tons mais escuros

5.5.17


Oi pessoal!

Como citado no último post (link aqui) sobre a trilogia 50 tons de cinza, aqui estou eu pra comparar o segundo livro com o segundo filme de 50 tons mais escuros.

 Resumindo brevemente o livro:

Na segunda parte da história, Anastásia se afasta completamente de Grey por alguns dias após fugir da casa dele. Nesses dias, ela inicia seu trabalho na SIP e se joga de cabeça na sua função de assistente de Jack Hyde. Até que Grey, resolve entrar em contato com ela para lembrá-la  da exposição de José. Eles voltam a se falar e vão juntos a exposição.



Após colocarem todos os "pingos nos is", tirando todas as regras, punições, segredos (daí surgem as chamadas do filme) e blá blá blá, eles decidem voltar. Quando isso finalmente acontece, Christian descobre que sua ex-submissa, Leila, está literalmente surtada, com uma licença para portar uma arma de fogo e a solta por Seattle. Porém ninguém tem ideia do que ela quer ou pode fazer. O que faz com que Grey surte e fique ainda mais super-protetor com Anastásia. Enquanto Leila está a solta, Anastásia é assediada por Jack que acaba sendo demitido (e fica fulo da vida), pois Christian comprou a empresa onde ela trabalha e como Jack não sabia disso ele se ferra. Com isso, ela acaba sendo promovida temporariamente já que não há ninguém que possa assumir o cargo.


Pouco tempo depois, Leila, finalmente é encontrada, porém o modo como Christian a trata deixa Anastásia completamente em choque e ela some pela cidade, o que deixa Grey desesperado. Mas depois disso os dois voltam a viver uma vida "normal".  HAHAHA Quem dera né? Na véspera do aniversário de Grey  que acaba desaparecendo é ele junto com o seu helicóptero, o Charlie Tango, o que deixa todos muito preocupados.


Sobre o filme:

A trilha sonora chama mais atenção pelas músicas escolhidas para as cenas eróticas, como a nova versão de Crazy in Love da Beyoncé. O que já é diferente, do primeiro filme em que a trilha sonora chamava atenção por completo.

Ethan, irmão de Kate que aparece no segundo livro (em algumas partes, inclusive partes importantes que foram retratadas no filme) foi totalmente excluído, o nome dele nem é citado. O que leva a um ponto importante, que foram as mudanças. E o que me faz pensar em como eles vão inserir o personagem no 3º filme...



No segundo filme, as mudanças foram mais bruscas na história do que no primeiro. Dá pra reparar isso, com a exclusão do personagem, também no decorrer de algumas cenas, como a que antecede o sumiço de Christian, que no livro é bem mais intenso pois ele deixa totalmente de responder aos e-mails de Anastásia já no meio da tarde, o que cria um clima de tensão até chegar a notícia do sumiço dele. Enquanto no filme o personagem avisa pessoalmente a ela que ele vai a Portland e depois disso some e ela recebe a notícia através de Elliot em um bar e não de Kate como é citado no livro.

Esses tipos de mudança, fizeram com que o filme ficasse diferente do livro. Mantendo a característica do primeiro filme que é o fato de ser mais leve que o livro, porém eu achei que ficou leve demais. Destoou da ideia de "mais escuros".  Algumas cenas mereciam uma intensidade mais parecida com o que é retratado no livro, tirando a falta de intensidade em algumas cenas e a exclusão do personagem Ethan, o filme não é ruim. Tanto que, eu assisti de novo de boa para poder fazer essa analise pra vocês. Portanto, o segundo filme é bom, quem não leu o livro, fica satisfeito com o decorrer da história, mas eu como li o livro prefiro as emoções do primeiro filme.


Agora é aguardar 2018 chegar para podermos assistir o 50 tons de liberdade e fazer o próximo filme vs livro da trilogia, mas em breve vai sair aqui no blog a resenha do 3º livro. O que vcs acharam? Assistiram, gostaram? Deixem nos comentários!

*gifs retirados da internet 
**imagens criadas por mim

Você pode gostar também

0 comentários